domingo, 29 de janeiro de 2012

Viagens do "Messias"

O "messias", como diz meu amigo Rui, vai a São Paulo "buscar" empresas para Lages. Não sou contra isso, precisamos de investimentos, de empregos e tudo mais. Mas a realidade não é essa que está no papel! Vão oferecer propostas como isenção de impostos por aproximadamente 10 (dez) anos, como aconteceu com a AMBEV, a prefeitura "doará" terrenos para implantação de tal empresa, como aconteceu com o Shopping Pátio Lages. E quando instalados em nossa cidade, o grosso do dinheiro não ficará no município, e pra quem não concorda, basta ver "Correia Pinto e Otacílio Costa" duas unidades da papeleira Klabin e por acaso os municípios são desenvolvidos? O governo do senhor Raimundo Samaritano Colombo deveria fazer, é incentivar o crescimento de pequenas e microempresas locais. Aí sim teríamos o sonhado desenvolvimento local, com recolhimento de impostos para o município, geração de empregos, com dinheiro circulando no município. Isso é desenvolvimento, mas quem é que faz isso...e ainda virá aqui pedir votos!!!

sábado, 28 de janeiro de 2012

Dica de Fim de Semana - O Zodíaco




Sinopse


O Roteiro dessa produção é baseado em fato real que já foi outras vezes, e de outras formas, levado as telas, sob o que ficou conhecido como o assassino do zodíaco. Os roteiristas se empenharam em reportagens da mídia e em arquivos policiais para montar o roteiro. Aqui, ao contrário do que era de se esperar, é mostrado um ponto de vista diferente dos filmes e seus efeitos. Conta a história de um policial e seu filho que ficam obcecados com os crimes e começam a investigar com as famílias das vitimas. Dessa forma, a produção aborda o desespero e a situação dos parentes que perderam entes queridos nessa aterradora onda de crimes. Com tudo isso, o filmes não deixa de investigar em uma dose forte de suspense capaz de segurar a atenção do espectador até o momento do seu surpreendente desfecho.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

BMW em Lages!?

A mídia lageana publicou hoje a notícia de uma fábrica da BMW estaria interessada em instalar uma unidade aqui na serra. Pois bem, só acredito quando inaugurarem. A nota é velha, trocaram a ZF pela BMW. Acham que com isso conquistam votos para Outubro! Estamos cansados de notícias velhas, minha vontade foi defenestrar o jornal, mas respirei fundo e continuei lendo, por isso é que ainda acredito em Papai Noel...

sábado, 21 de janeiro de 2012

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Big Brother Brasil Um Programa Imbecil

O conhecido cordelista Antonio Barreto é professor, graduado em Letras Vernáculas e pós-graduado em Psicopedagogia e Literatura Brasileira. Tem gabarito e merece ser ouvido, especialmente pela Rede Globo de Televisão que deveria mostrar mais amor ao povo brasileiro do que ao dinheiro e retirar esse lixo cultural da grade de sua programação.

Leonardo Boff


Big Brother Brasil Um Programa imbecil
Autor: Antonio Barreto, Cordelista natural de Santa Bárbara-BA, residente em Salvador.

Curtir o Pedro Bial
E sentir tanta alegria
É sinal de que você
O mau-gosto aprecia
Dá valor ao que é banal
É preguiçoso mental
E adora baixaria.

Há muito tempo não vejo
Um programa tão ‘fuleiro’
Produzido pela Globo
Visando Ibope e dinheiro
Que além de alienar
Vai por certo atrofiar
A mente do brasileiro.

Me refiro ao brasileiro
Que está em formação
E precisa evoluir
Através da Educação
Mas se torna um refém
Iletrado, ‘zé-ninguém’
Um escravo da ilusão.

Em frente à televisão
Longe da realidade
Onde a bobagem fervilha
Não sabendo essa gente
Desprovida e inocente
Desta enorme ‘armadilha’.

Cuidado, Pedro Bial
Chega de esculhambação
Respeite o trabalhador
Dessa sofrida Nação
Deixe de chamar de heróis
Essas girls e esses boys
Que têm cara de bundão.

O seu pai e a sua mãe,
Querido Pedro Bial,
São verdadeiros heróis
E merecem nosso aval
Pois tiveram que lutar
Pra manter e te educar
Com esforço especial.

Muitos já se sentem mal
Com seu discurso vazio.
Pessoas inteligentes
Se enchem de calafrio
Porque quando você fala
A sua palavra é bala
A ferir o nosso brio.

Um país como Brasil
Carente de educação
Precisa de gente grande
Para dar boa lição
Mas você na rede Globo
Faz esse papel de bobo
Enganando a Nação.

Respeite, Pedro Bienal
Nosso povo brasileiro
Que acorda de madrugada
E trabalha o dia inteiro
Da muito duro, anda rouco
Paga impostos, ganha pouco:
Povo HERÓI, povo guerreiro.

Enquanto a sociedade
Neste momento atual
Se preocupa com a crise
Econômica e social

Você precisa entender
Que queremos aprender
Algo sério – não banal.

Esse programa da Globo
Vem nos mostrar sem engano
Que tudo que ali ocorre
Parece um zoológico humano
Onde impera a esperteza
A malandragem, a baixeza:
Um cenário sub-humano.

A moral e a inteligência
Não são mais valorizadas.
Os “heróis” protagonizam
Um mundo de palhaçadas
Sem critério e sem ética
Em que vaidade e estética
São muito mais que louvadas.

Não se vê força poética
Nem projeto educativo.
Um mar de vulgaridade
Já tornou-se imperativo.
O que se vê realmente
É um programa deprimente
Sem nenhum objetivo.

Talvez haja objetivo
“professor”, Pedro Bial
O que vocês tão querendo
É injetar o banal
Deseducando o Brasil
Nesse Big Brother vil
De lavagem cerebral.

Isso é um desserviço
Mal exemplo à juventude
Que precisa de esperança
Educação e atitude
Porém a mediocridade
Unida à banalidade
Faz com que ninguém estude.

É grande o constrangimento
De pessoas confinadas
Num espaço luxuoso
Curtindo todas baladas:
Corpos “belos” na piscina
A gastar adrenalina:
Nesse mar de palhaçadas.

Se a intenção da Globo
É de nos “emburrecer”
Deixando o povo demente
Refém do seu poder:
Pois saiba que a exceção
(Amantes da educação)
Vai contestar a valer.

A você, Pedro Bial
Um mercador da ilusão
Junto a poderosa Globo
Que conduz nossa Nação
Eu lhe peço esse favor:
Reflita no seu labor
E escute seu coração.

E vocês caros irmãos
Que estão nessa cegueira
Não façam mais ligações
Apoiando essa besteira.
Não deem sua grana à Globo
Isso é papel de bobo:
Fujam dessa baboseira.

E quando chegar ao fim
Desse Big Brother vil
Que em nada contribui
Para o povo varonil
Ninguém vai sentir saudade:
Quem lucra é a sociedade
Do nosso querido Brasil.

E saiba, caro leitor
Que nós somos os culpados

Porque sai do nosso bolso
Esses milhões desejados
Que são ligações diárias
Bastante desnecessárias
Pra esses desocupados.

A loja do BBB
Vendendo só porcaria
Enganando muita gente
Que logo se contagia
Com tanta futilidade
Um mar de vulgaridade
Que nunca terá valia.

Chega de vulgaridade
E apelo sexual.
Não somos só futebol,
baixaria e carnaval.
Queremos Educação
E também evolução
No mundo espiritual.

Cadê a cidadania
Dos nossos educadores
Dos alunos, dos políticos
Poetas, trabalhadores?
Seremos sempre enganados
e vamos ficar calados
diante de enganadores?

Barreto termina assim
Alertando ao Bial:
Reveja logo esse equívoco
Reaja à força do mal.
Eleve o seu coração
Tomando uma decisão
Ou então: siga, animal.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Frase do Dia

"Já foi dito que o tempo cura todas as feridas...Não concordo. A ferida continua. Com o tempo, a mente se protege da insanidade cobrindo a ferida com cicatrizes, e a dor diminui, mas nunca desaparece." 



Rose Kennedy

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Uma viajem por 17 países em menos de 5 minutos

Da série Vídeos para começar bem o dia: munido de uma Panasonic Lumix, o fotógrafo Kien Lam, de San Francisco, percorreu 17 países, em 19 aviões, 58 carros e 18 barcos durante 343 dias. Bateu 6.237 fotografias nesta avenjtura por Estados Unidos, Inglaterra, França, Portugal, Espanha, Marrocos, Egipto, Turquia, Jordânia, Tailândia, Indonesia, Japão, Argentina, Uruguai, Chile, Bolívia e Peru. Na volta, editou um vídeo com auxílio de seu irmão caçula, William Lam, cheio de efeitos e resumiu toda esta longa viagem em pouco mais de quatro minutos.








Dica de Livros para as Férias

esganadas,+as
Como ator e comediante, o Jô é um grande fazedor de tipos. Sabe como poucos construir um personagem defini-lo como um detalhe e dar-lhe vida com graça e inteligência. Como autor, essa sua maestria se expande: os tipos são posto no mundo e, mais do que no mundo, numa trama - e o seu criador se solta. Toda a ficção do Jô é feita de grandes personagens envolvidos em grandes tramas. Os tipos e as tramas deste livro são especialmente engenhosos e através deles o autor nos dá um retrato saboroso do Rio de Janeiro no fim dos anos 30 e começo do Estado Novo - O Rio das vedetes que devam e dos políticos que tomavam, das estrelas do rádio e das corridas de "baratinhas". E, nesse mundo em ebulição, chega uma figura portuguesa, saída do poema de Fernando Pessoa, para elucidar o estranho e terrível casa das gordas desaparecidas ...



marinaNeste livro, Zafón constrói um suspense envolvente em que Barcelona é a cidade-personagem, por onde o estudante de internato Óscar Drai, de 15 anos, passa todo o seu tempo livre, andando pelas ruas e se encantando com a arquitetura de seus casarões. 
É um desses antigos casarões aparentemente abandonados que chama a atenção de Oscar, que logo se aventura a entrar na casa. Lá dentro, o jovem se encanta com o som de uma belíssima voz e por um relógio de bolso quebrado e muito antigo. Mas ele se assusta com uma inesperada presença na sala de estar e foge, assustado, levando o relógio. Dias depois, ao retornar à casa para devolver o objeto roubado, conhece Marina, a jovem de olhos cinzentos que o leva a um cemitério, onde uma mulher coberta por um manto negro visita uma sepultura sem nome, sempre à mesma data, à mesma hora.

Os dois passam então a tentar desvendar o mistério que ronda a mulher do cemitério, passando por palacetes e estufas abandonadas, lutando contra manequins vivos e se defrontando com o mesmo símbolo - uma mariposa negra - diversas vezes, nas mais aventurosas situações por entre os cantos remotos de Barcelona. Tudo isso pelos olhos de Oscar, o menino solitário que se apaixona por Marina e tudo o que a envolve, passando a conviver dia e noite com a falta de eletricidade do casarão, o amigável e doente pai da garota, Germán, o gato Kafka, e a coleção de pinturas espectrais da sala de retratos.

Em Marina, o leitor é tragado para dentro de uma investigação cheia de mistérios, conhecendo, a cada capítulo, novas pistas e personagens de uma intrincada história sobre um imigrante de Praga que fez fama e fortuna em Barcelona e teve com sua bela esposa um fim trágico. Ou pelo menos é o que todos imaginam que tenha acontecido, a não ser por Oscar e Marina, que vão correr em busca da verdade - antes de saber que é ela que vai ao encontro deles, como declara um dos complexos personagens do livro.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Som da Tarde II

AC/DC - Rock N' Roll Train 











Som da Tarde I

Tim Maia - Não quero dinheiro...



Ministério recebe currículos para consultor até o dia 20

O Ministério da Agricultura seleciona consultor individual para atuar no planejamento, organização de oficinas de capacitação de agentes promotores da regularização de grupos de agricultores orgânicos. Os capacitados devem estar de acordo com os mecanismos de garantia da qualidade orgânica para o Projeto Nacional de Ações Integradas Público-Privadas para Biodiversidade (Probio II). Os currículos serão recebidos até o dia 20 de junho de 2011.

Confira o EDITAL


Fonte: MAPA

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Agência Nacional de Águas abre inscrições para o Prêmio ANA 2012


Interessados têm até 1º de junho de 2012 para enviar iniciativas na área de recursos hídricos que serão avaliados pela comissão julgadora. As inscrições são gratuitas.

Até 1º de junho de 2012, a Agência Nacional de Águas (ANA) vai receber inscrições para a quarta edição do Prêmio ANA que, a cada dois anos, reconhece iniciativas que se destacam pela excelência e contribuição para a gestão e o uso sustentável dos recursos hídricos do País.

Nesta edição, serão oito categorias de premiação: governo; empresas; organizações não governamentais; pesquisa e inovação tecnológica; organismos de bacia; ensino; imprensa e água e patrimônio cultural.

Instituído em 2006, o Prêmio ANA busca identificar ações que estimulam o combate à poluição e ao desperdício e apontar caminhos para assegurar água de boa qualidade e em quantidade suficiente para o desenvolvimento das atuais e futuras gerações.

A avaliação dos trabalhos será feita por uma Comissão Julgadora composta por membros externos à ANA com notório saber na área de recursos hídricos ou meio ambiente. Um representante da Agência presidirá o grupo, mas sem direito a voto. Os critérios de avaliação consideram os seguintes aspectos: efetividade; impacto social; potencial de divulgação/replicação; adesão social; originalidade e sustentabilidade financeira.

A Comissão Julgadora vai selecionar três iniciativas finalistas e uma vencedora em cada categoria. Os trabalhos ganhadores serão conhecidos em solenidade de premiação marcada para o dia 5 de dezembro de 2012 no Teatro da Caixa Cultural de Brasília. A Caixa Econômica Federal é a patrocinadora exclusiva do Prêmio ANA. Os oito vencedores receberão o Troféu Prêmio ANA, concebido pelo mestre vidreiro italiano Mário Seguso.

As inscrições devem ser enviadas por remessa postal registrada aos cuidados da Comissão Organizadora do Prêmio ANA 2012 no seguinte endereço: SPO, Área 5, Quadra 3, Bloco "M", Sala 222, Brasília-DF, CEP: 70610-200. A data de postagem será considerada como a de entrega. Os concorrentes poderão inscrever mais de uma iniciativa e apresentar trabalhos indicados por terceiros, desde que acompanhados de declaração assinada pelo indicado, concordando com a indicação e com o regulamento da premiação. O regulamento e a ficha de inscrição estão disponíveis no hotsite do Prêmo: www.ana.gov.br/premio. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail premioana@ana.gov.br ou pelo telefone (61) 2109-5412.

Assessoria de Comunicação da Agência Nacional de Águas 
Telefone: (61) 2109 5129
E-mail: imprensa@ana.gov.br
ANA no Twitter: http://twitter.com/ANAgovbr
ANA no You Tube: www.youtube.com/ANAgovbr

Frase do Dia

"Se o mal tem que ser feito a um homem, que seja de maneira tão severa que sua vingança não precise ser temida".


Nicolau Maquiavel

sábado, 7 de janeiro de 2012

Som da Tarde

Pra quem curti música boa, Patience - Guns N' Roses...curta aí!!!



Dica de Fim de Semana II - O Garoto da Bicicleta





Sinopse:

Cyril, quase 12 anos, único plano: encontrar o pai que o deixou temporariamente em um orfanato. Por acaso ele conhece Samantha, dona de um salão de beleza, que aceita ficar com ele nos finais de semana. Cyril não consegue ver o amor que Samantha sente por ele. Um amor que ele precisa despesperadamente para apaziguar sua raiva.

Dica de Fim de Semana - Tudo pelo Poder

Sinopse: 

Thriller político centrado na campanha de um candidato democrata à presidência dos Estados Unidos. Sthephen Myers (Ryan Gosling) é um jovem e ambicioso diretor de comunicação que não mede esforços para promover o seu candidato, o governador Mike Morris (George Clooney).



Dica de Livros para as Férias



Machado de Assis é um dos autores contemplados (foto: reprodução)
A L&PM anunciou os 12 primeiros títulos da aguardada Série 64 Páginas, que terá pockets a apenas R$ 5.

E a seleção é de primeira: tem nomes como Edgar Allan Poe, Tchékhov, Machado de Assis e Charles Bukowski. Tem contos, poemas, novelas curtas e até tirinhas da Turma da Mônica.

Os livros começam a chegar às livrarias no final do mês.


Confira os títulos:

- O Mistério de Marie Rogêt, de Edgar Allan Poe

- A Corista & Outras Histórias, de Tchékhov

- O Retrato, de Gogol

- Missa do Galo e Outros Contos, de Machado de Assis

- O Gato do Brasil e Outras Histórias de Terror e Suspense, de Arthur Conan Doyle

- Antologia Poética, de Fernando Pessoa

- 120 Tirinhas da Turma da Mônica

- Fábulas Chinesas, seleção de Sérgio Capparelli e Márcia Schmaltz

- O Diabo, de Tolstói

- A Mulher Mais Linda da Cidade, de Charles Bukowski

- Cenas de Nova York e Outras Viagens, de Jack Kerouac

- Histórias de Sherlock Holmes (título provisório), de Arthur Conan Doyle



quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Dica de Livros para as férias


Reprodução

Na próxima semana, mais precisamente no dia 5 de janeiro, o escritor italiano Umberto Eco completa 80 anos. Para quem ainda não leu suas obras, uma dica: vale muito a pena.Eco, que é também filósofo, semiólogo, linguista e bibliófilo, domina a escrita como poucos e conduz o leitor por tramas intrincadas, bem construídas e cheias de intertextualidade. A reconstrução de épocas e cenários é outra de suas características marcantes.


Na área teórica, o escritor italiano começou a publicar ainda nos anos 1960, década na qual escreveu duas de suas mais conhecidas obras nessa área: Obra Aberta, em que parte do conceito básico de que toda obra de arte é aberta porque comporta diferentes interpretações, e Apocalípticos e Integrados. Ao todo, Eco soma mais de três dezenas de obras teóricas, com destaque ainda para Seis Passeios pelos Bosques da Ficção, de 1994, e Não Contem com o Fim do Livro, de 2010 (esse último, como coautor).

Como romancista, fez sua estreia em 1980, em grande estilo, com o conhecidíssimo O Nome da Rosa (que ganhou adaptação cinematográfica com Sean Connery), trama de suspense policial que se passa num mosteiro franciscano medieval. O momento histórico, a fé usada como desculpa para atos hediondos, os costumes da época, tudo permeia e enriquece a trama.

Outro romance do autor que merece destaque é o intrincado e instigante O Pêndulo de Foucault, de 1988, em que sociedades secretas estão envolvidas em um suposto plano para dominar o mundo. Mais uma vez, a escrita não se resume ao enredo em si: há muitas informações e referências, trechos de livros antigos e raros, referências à cabala e à alquimia, entre outros elementos que dão mais sabor e conteúdo ao livro.

O terceiro romance de Umberto Eco é A Ilha do Dia Anterior, badaladíssimo na época do lançamento, em 1994 (lembro-me que esperei semanas na fila para conseguir retirá-lo em uma locadora de livros). Dessa vez, o que move a história não são crimes ou conspirações: o enredo é construído ao redor de um jovem piemontês que sofre um naufrágio nos mares do sul. Ele vai parar em uma ilha onde, supostamente, se encontraria a linha de mudança do fuso horário. Isolado, ele passa a rememorar questões filosóficas e culturais, como a própria mudança do tempo - já que, na tal ilha, bastaria dar um passo atrás e estaria no dia anterior.

Mais recentemente, Eco voltou a frequentar as listas de mais vendidos com seu novo romance, O Cemitério de Praga - que já era sucesso em vários países desde o ano passado e foi publicado apenas em 2011 no Brasil, pela Record. Nesse livro, o autor volta a utilizar-se de seitas e sociedades secretas, conspirações e crimes, levando o leitor até a Paris do final do século 19 e passando ainda por Turim e Palermo. Personagens reais, como Sigmundo Freud e Giuseppe Garibaldi, mesclam-se com personagens fictícios, em especial o protagonista, Simone Simonini, um italiano de humor ácido com julgamentos de mundo bem peculiares.

Esse lado satírico do personagem não poupa ninguém. Os jesuítas, declara o protagonista em certo ponto, são "maçons vestidos de mulher" - o que provocou protestos de setores da Igreja Católica. Mas Simonini também não gosta dos judeus (o livro aborda de certa forma o surgimento do antissemitismo), de quem diz ter aprendido diversos adjetivos pouco elogiosos com o avô ("além de vaidoso como um espanhol, ignorante como um croata, cúpico como um levantino, ingrato como um maltês, insolente como um cigano...", enumera à página 14), dos alemães ("até trabalhei para eles: o mais baixo nível concebível da humanidade"), os franceses ("desde que me tornei francês, compreendi que meus novos compatriotas são preguiçosos, trapaceiros, rancorosos, ciumentos, orgulhosos além de todos os limites"), as mulheres e até os próprios italianos. Ninguém escapa da língua ferina do personagem.

A leitura das mais de 470 páginas não é fácil, mas é, com certeza, compensadora. Como declarou o jornal italiano La Repubblica: O Cemitério de Praga é "uma obra destinada a se tornar um clássico".


terça-feira, 3 de janeiro de 2012